31 de julho de 2011

A Dor da Perda

Diga-me agora, por favor,
O que faço para viver
Sem o teu terno amor?
Ah! Penso até em morrer
Por não suportar tamanha dor!

Meus dias noites tornaram-se,
E não consigo mais enxergar.;
Meus sonhos dissiparam-se,
E não consigo mais sonhar
E até meus lábios silenciaram-se.

Ah! Quantas palavras não ditas
Nunca mais poderei te dizer!
Ah! Quantas coisas bonitas
Nunca mais poderei te fazer!
Ah! Que vida cruel e maldita!

Não quero que tenha piedade
Dessa minha dor tão dolorida!
Dói! Mas prefiro a verdade
A uma vida sem vida.
Mas de ti sentirei muita saudade!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário